terça-feira, 14 de maio de 2019

A importância do Campeonato Mundial de Hóquei


Todo ano em Maio é disputado anualmente a primeira divisão do Hóquei Mundial de seleções da IIHF, em português o Mundial mas que tenho pessoalmente o a insistência de chamar de Copa do Mundo de Hóquei. (Vindo do Sueco a origem da palavra quer dizer a mesma coisa e essência o torneio tem o mesmo papel). Um torneio esperado e aguardado ansiosamente por torcedores de países europeus e deixado um pouco de lado no continente americano.

O torneio acontece no fim da temporada europeia de hóquei e a coroação da temporada onde jogadores dos melhores times da Europa tem o privilégio de se juntar a jogadores da NHL que já não tem mais a temporada em andamento. Torcedores europeus viajam de todos os lugares para um grande evento que tem no calendário anual.

Claro para América do Norte, com a NHL com os playoffs em seus momentos de mais alta intensidade o torneio tem um papel secundário e essa característica é um tanto quanto seguido pelos fã brasileiro que tem seu maior contato hóquei por conta de sua influencia dos esportes americanos. 

O mundial mesmo quando sediado no Canadá e nos Estados Unidos, a competição é realizada com as regras da IIHF o que também impõe o público uma percepção de diferença ou de menos importante.

Do ponto de vista do Europeu apaixonado por hóquei a NHL obviamente tem um papel muito importante mas problemas como a diferença de fuso horários ainda complicam os fã do esporte de acompanhar a liga mais importante do mundo.

A paixão pelos clubes locais é similar a vista por clubes do futebol e também é assim pela seleção. Jogadores desde criança sonham em vestir a camisa da seleção e ouvir o hino após jogo no fim das partidas, vitórias memoráveis contra seus vizinhos e eventualmente vencer a grande potencia do Canadá.

Com a globalização  naturalmente e até financeiramente o sonho da NHL nos jogadores estrangeiros é real e talvez se iguale ao sonho da seleção mas para o torcedor a magia ainda é a mesma. Uma tradição iniciada em 1920 e que está perto de completar 100 anos.

Uma história que se confunde com as Olimpíadas, que viu da evolução do tempo em que atletas não eram profissionais impedidos de participar, tempos de domínio da União Soviética e de rivalidades intensas por motivos políticos até a evolução no formato atual em que existe uma coexistência harmoniza com a NHL mais até do que os Jogos Olímpicos. 

O torneio expõe um pouco da fragilidade de países menos desenvolvidos na modalidade, mas vale apena conferir e torcer. Os jogos são abertos para o Brasil via youtube no canal da IIHF. O Brasil ainda engatinha no esporte mas quem sabe ainda um dia podemos ver o Brasil estreando na primeira divisão assim como muitos países lutam para chegar a esse feito.


Flávio Fernandes








sexta-feira, 26 de abril de 2019

Falando sobre DEL #11: Mannheim conquista o título da DEL


A principal liga de hóquei no gelo alemã chegou a uma conclusão na temporada 2018-19, porém voltemos um passo para falar rapidamente sobre as semifinais. No confronto entre Adler Mannheim e Kölner Haie levou a melhor o time que teve a melhor campanha, o Adler acabou varrendo com certa facilidade o time de Colônia e se garantindo na final com todo favoritismo possível. Na outra semifinal, Red Bull München e Augsburger Panther travaram um duelo equilibrado que durou sete jogos, o Red Bull acabou vencendo o jogo 7 em casa e chegando a sua quarta final consecutiva e também mantendo viva a busca pelo seu quarto título.
O primeiro jogo das finais foi no último dia 18/04 em Mannheim, a partida foi muito disputada e trava também. Danny aus den Birken, goleiro do München, terminou o jogo com 27 defesas, já Dennis Endras, goleiro do Adler, fez 39 defesas, cada time conseguiu marcar 1 gol nos 60 minutos regulamentares de jogo. A prorrogação terminou no final do período, Frank Mauer conseguiu bater Endras e dar a vitória para o Red Bull por 1 a 2 fora de casa.
O Adler Mannheim fez um grande jogo em Munique na partida dois, Endras defendeu 34 disparos a gol saindo com o shutout. O ataque acabou marcando três vezes dando a vitória para os visitantes e igualando a série, 0 a 3 Adler no jogo 2. Esse jogo iria ditar um padrão nos próximos também.
De volta a Mannheim, o jogo 3 foi protagonizado por Andrew Desjardins, o atacante do time da casa deu a assistência primária no primeiro gol e marcou o segundo e terceiro. O Adler venceu por 4 a 1 virando a série, o Red Bull se encontrava em uma situação possivelmente problemática nesse momento.
O que era possivelmente problemático virou um desastre no jogo 4. O time de Mannheim dominou o jogo chegando a 43 chutes a gol, além disso as quatro linhas conseguiram marcar gol demonstrando o mínio. O Red Bull München ficou rendido, não conseguiu em momento algum se recuperar, Dennis Endras garantiu seu segundo shutout nas finais e o Adler venceu por 0 a 4, a série estava 3-1 e ia para Mannheim.
O jogo 5 pode ser dividido em três atos, o primeiro deles foi do começo até os minutos finais do segundo período e foi novamente um domínio amplo do Adler. O time da casa abriu 4 a 1 nos primeiros 30 minutos de jogo e parecia que isso seria o final da temporada, com tudo em um lance infeliz de Endras o quadro mudou. O segundo ato do jogo começou com o goleiro do Adler errando na saída atrás do gol, Jakob Mayenschein roubou o puck e tocou, Tobias Eder fez o segundo passe e Anderas Eder marcou o segundo gol do München no jogo. Após o intervalo, o Red Bull voltou com todas as forças e conseguiu marcar duas vezes em menos de dois minutos, o jogo estava empatado quase repentinamente. Isso levou ao terceiro ato, o Adler voltou a dominar a partida, mas no meio do caminho tinha Danny aus den Birken e o goleiro do Red Bull decidiu que faria de tudo ao seu alcance para impedir uma derrota.
O goleiro do time visitante começou a fazer grandes defesas, levou o jogo para a prorrogação e continuou a resistir todas as chances que o adversário tinha, pouco depois dos dez minutos o jogo mudou um pouco. O München começou a encontrar saídas e levar perigo, Endras começou a defender os contra ataques e o jogo estava mais equilibrado e aberto. Quando parecia que a maré iria mudar, o ataque do Adler finalmente encontrou o caminho do gol, Thomas Larkin conseguiu superar Aus Den Birken em uma jogada de Garrett Festerling. Fim de jogo e de série, Adler Mannheim 5 a 4 na prorrogação e 4 a 1 na série.
Thomas Larkin marca o gol do título (Foto: vfa)

O Adler Mannheim alcança o oitavo título alemão se tornando o maior campeão nacional. Esse é o sétimo título do Adler na era da DEL e isso o torna o maior campeão dessa era ao lado do Eisbären Berlin, também essa conquista quebra a sequência do Red Bull München que vinha de três conquistas consecutivas.. O título conquistado é o pedaço final do quebra-cabeça para uma temporada o mais próximo possível da perfeição, a equipe de Mannheim dominou a liga e o título é o final de uma grande temporada. 
Parabéns ao Adler Mannheim é até setembro para a DEL!

segunda-feira, 8 de abril de 2019

Não é só a Kvalserien

O Leksands Idrottsförening venceu a Kvalserien diante do Mora em 5 jogos. A vaga na SHL 2019-2020 veio em uma partida emocionante decidida apenas no overtime, levando a torcida visitante a loucura no FM Mattson Arena em Mora. Mas, como o Leksands chegou a esse jogo e a essa vaga? Descubra nesse texto!
Em 2017-2018 uma das séries da Kvalserien foi qual? Leksands vs Mora! Por coincidência imensa, a série acabou também em 5 jogos! O único detalhe é que o Mora, que havia sido o 13o colocado na SHL, venceu a série! Nessa temporada o Mora havia ficado em que colocação na SHL? Décimo terceiro!
O time vinha para a temporada 2018-2019 com seu destaque de 2017-2018 mantido. O LW/RW Matthias Ritola renovou seu vínculo com a equipe por 3 temporadas. Porém, o líder em pontos do time na temporada Alex Friesen voltou ao Fischtown Penguins da Alemanha.
A temporada regular 2018-2019 foi uma loucura para o Leksands que acabou com 30 vitórias e 22 derrotas. Assim, o Leksands ficou na 4a colocação indo para o qualification round.
Onde o líder desse hexagonal final enfrentaria o perdedor de AIK (Líder) vs Oskashamn (Vice) valendo a vaga na Kvalserien. O Leksands venceu os 5 jogos e ficou com a vaga para enfrentar o AIK que havia perdido para o Oskarshamn.
Na série contra o AIK, nenhum problema. 2x1 em Estocolmo e 7x2 em Leksand para garantir a vaga na Kvalserien. A série contra o AIK foi a primei
ra que acompanhei visto que minha primeira partida foi diante do Västerviks, uma vitória por 4x1.
Na Kvalserien, a estreia foi em Mora, a 59km de Leksand. A Tegera Arena fica a 51 minutos da FM Mattson Arena. No jogo 1, vitória por 5x3 quase me matando, isso porquê abrimos 4x0 e levamos 4x3 antes de fazer o Quinto gol. Ainda roubamos o mando de campo! No Jogo 2, em casa vitória por 4x3. Mas o Jogo 3 foi um banho de água fria. Estávamos 12 jogos invictos. No jogo 3, um baile do Mora e uma vitória acachapante por 5x2. Jogo 4 tivemos a alegria de volta, 2x1 e a quase vaga. Bastava vencer fora de casa na sexta que acabava tudo.
Eu estava viajando para o interior quando entre uma área com sinal de internet e outra. GOL, 3x2 no OT! ACABOU! Enlouqueço no carro! SHL We Are Back! Foi o que postei no meu Facebook para celebrar a vitória. Enfim, estamos de volta! O C Linus Persson e o RW/LW Thomas Valkvæ Olsen foram os destaques da equipe na temporada com 37 e 36 pontos na temporada regular, respectivamente.
Enfim, após 2 temporadas na Allsvenskan estamos de volta a SHL. Esse foi um resumo da temporada de acesso do Leksands a primeira divisão!


segunda-feira, 1 de abril de 2019

Falando Sobre DEL #10: Quatro Continuam no Páreo


As quartas de final da Deutche Eishockey Liga foram marcadas por duas séries com 7 jogos, uma série com 6 jogos e uma série onde um time escapou de ser varrido. Começamos com a série decida em 5 jogos onde houve ampla dominância de um dos times.
- Adler Mannheim vs Thomas Sabo Ice Tigers:
O melhor time da temporada regular começou aplicando uma goleada por 7 a 2 sobre o Thomas Sabo Ice Tigers, o Adler Mannheim abriu as quartas de final vencendo com facilidade dentro de casa. No jogo 2 da série o time favorito venceu oura vez: Thomas Sabo 2-4 Adler e uma varrida se desenhava. O jogo 3 foi novamente fácil para o time de Mannheim, 4 a 1 e um pé nas semifinais. No jogo 4 os Ice Tigers contou com uma atuação mágica de Niklas Treutle, o goleiro terminaria o jogo com 41 defesas, o ataque também achou o caminho do gol, mas foi um jogo onde a perspectiva de uma varrida ficou viva o tempo todo. No terceiro período o Thomas Sabo chegou a estar vencendo por 3 a 2, mas nos segundos finais Andrew Desjardin empatou o jogo, o time da casa não se abalou muito e na prorrogação Patrick Reimer fez o gol da vitória: Ice Tigers 4-3 Adler. Porém, a série terminou no jogo 5, o Adler Mannheim voltou a dominar o jogo e venceu por 7 a 4 fechando a série em 4-1.
O time favorito passou com facilidade, apenas não varreu porque no jogo 4 os Ice Tigers tiveram resiliência. Essa série confirmou duas coisas muito importantes: o Adler Mannheim é realmente uma força consolidada e o Thomas Sabo Ice Tigers perdeu muitas forças da última temporada para cá.

- Red Bull München vs Eisbären Berlin
A série que definiu o título da liga na temporada passada se repetiu, mas dessa vez muito mais cedo na temporada. O Eisbären Berlin começou dando trabalho ao segundo melhor time da temporada regular, o primeiro jogo foi estudado como uma partida de xadrez e apenas no terceiro período os times conseguiram marcar gols, foi o time de Berlin quem saiu na frente, mas no final das contas cada time marcou dois gols. Justin Shugg apareceu na prorrogação e deu a vitória ao Red Bull, 3 a 2 na prorrogação.
No segundo jogo, porém, o time de Berlin se impôs no placar marcando 4 gols, o München pressionou o quanto pôde, mas aquela noite Kevin Poulin saiu com o shutout, Eisbären 4-0 Red Bull e a série foi empatada em 1 a 1. No jogo 3 o München dominou a partida e venceu com facilidade por 4-1 se recolocando a frente na série. No jogo 4 o Red Bull voltou a dominar, mesmo em Berlin o München deslanchou e conseguiu uma vitória por 2-5, a série estava 3-1 para o Red Bull. O jogo 5 foi em Munique, mas dessa vez os Eisbären foram os dominadores do jogo, 0-3 com outro shutout de Kevin Poulin e a série voltaria a capital da Alemanha.
O primeiro período do Red Bull no jogo 5 foi incrível, o time visitante conseguiu marcar quatro vez se impondo no placar. O Berlin fez o que pôde, pressionou, marcou gols, mas caiu perdendo por 3 a 4 em casa, a recuperação na temporada regular levou a boas apresentações nos playoffs, mas no final das contas o Red Bull München continuava a ser mais forte.

Foto: Siegfried Kerpf


- Augsburger Panther vs Düsseldorfer EG
A abertura da série foi um completo sucesso para o Augsburger e um completo desastre para o Düsseldorfer, o Panther fez 7-1 com requintes de crueldade. Porém, numa série de jogos cada jogo é diferente um do outro, para o time de Düssledorf a página foi virada e no jogo 2  a imposição como time da casa foi importante para empatar a série: 4 a 1 na segunda partida e série igualda.  Após dois jogos onde um dos lados dominou completamente, o jogo 3 foi o primeiro verdadeiramente disputado da série, o Düsseldorfer  pulou na frente durante o primeiro período e com isso o Panther foi obrigado a batalhar por um empate ao menos, o que aconteceu no segundo período, porém, o time visitante marcou mais uma vez e segurou o adversário: Augsburger 3-4 Düsseldorfer, 1 a 2 na série.
De volta a Düsseldorf, o Panther fez seu trabalho e devolveu a derrota em casa vencendo por 1 a 2 o time do vale do Reno e empatando a série outra vez em uma partida aguerrida pelos dois lados.  No quinto jogo teve prorrogação, a partida começou com o Düsseldorfer saindo na frente, sofrendo o empate, mas marcando duas vezes abrindo 1-3 sobre o time da casa, mas o Augsburger conseguiu igualar o placar no terceiro período e Thomas Holzmann marcou logo no início da prorrogação. Augsburger 4-3 Düssledorfer no jogo 5. O jogo 6 terminou exatamente com o mesmo placar, teve roteiro muito parecido, porém o vencedor foi outro: o Düsseldorfer devolveu a virada na prorrogação vencendo por 4 a 3 também e levou a série para o jogo 7.
A série foi definida em um jogo nervoso, o Düsseldorfer EG marcou o primeiro gol, mas sofreu o empate poucos minutos depois. No início do terceiro período o Panther virou o jogo, Andrew Leblanc marcou o gol que colocou o time da casa a frente, o Düsseldorfer até tentou, mas aquele era o placar final do jogo. Augusburger Panther 2-1 Düsseldorfer EG, 4-3 na série e o Panther avançou as semifinais. O Düsseldorfer EG melhorou muito da última temporada para essa, mas ainda não era a hora de sonhar com o título que não vem há muito tempo. Já o Augsburger Panther dá um passo a frente e mesmo tendo uma semifinal difícil a vista, pode começar a pensar que esse pode sim ser o seu ano, finalmente.

- Kölner Haie 2-6 ERC Ingolstadt
O primeiro jogo foi em Colônia, o ERC Ingolstadt não se impressionou com isso e dominou o jogo vencendo por 2 a 6 “roubando” o mando logo na abertura da série. O Kölner Haie não quis deixar isso barato, mas encontrou dificuldades e mesmo conseguindo empatar nos minutos finais do terceiro período, acabou por perder na prorrogação, Thomas Greilinger foi o autor do gol da vitória do ERC no jogo 2 por 4-3. O jogo 3 também foi muito disputado, também definido no período extra, entretanto foi com uma boa atuação das linhas dos Haie que Ryan Jones conseguiu marcar o gol da vitória e garantir uma vitória importantíssima por 3 a 2.
Mais tensão, placar equilibrado e prorrogação no jogo 4, Jochen Reimer foi pressionado o tempo todo pelo ataque do Kölner, o goleiro de Ingolstadt terminou o jogo com incríveis 51 defesas. Cada time marcou dois gols nos 60 minutos mesmo que os Haie pressionassem o ERC com todas as forças que tinham, para piorar tudo pelo ponto de vista do time de Colônia, Brandon Mashinter conseguiu o gol vitorioso na prorrogação, ERC 3-2 Haie e 3-1 na série.
Na Lanxess Arena o Kölner Haie conseguiu se impor na partida 5, a vitória por 4 a 2 aliviou um pouco da pressão para o Kölner, porém o próximo jogo também valia a temporada para o time. A missão do ERC era vencer em casa o jogo 6 e fechar a série, mas os Haie tiveram uma noite inspirada de Felix Schütz, o atacante marcou 3 gols e deu uma assistência. O Ingolstad não conseguiu entender o que acontecia até que era tarde de mais, 2-5 e jogo 7 a vista.
Em 2014 Kölner Haie e ERC Ingolstadt se encontraram em um jogo 7 na Lanxess Arena com o título da DEL em jogo, dessa vez era uma vaga para a semifinal. Diferente de 2014, o Kölner saiu na frente com gol de Ryan Jones, o ERC empatou, mas Jones marcou seu segundo gol na partida. Frederik Tiffels fez 3 a 1 para os Haie, Michael Colins diminuiu, mas era tarde de mais. Kölner Haie 3-2 ERC Ingolstadt no jogo 7, 4-3 na série após estar perdendo por 1-3, um dos grandes campeões alemães avançou as semifinais.

As semifinais da DEL na temporada 2018-19 serão Adler Mannheim vs Kölner Haie e Red Bull München vs Augsburger Panther. De um lado Mannheim e Kölner, duas casas multi campeãs do hóquei Alemão disputando para ver quem chega a mais uma final. Na outra semifinal, a nova potência local disputando para continuar sua sequência de títulos contra o Augsburger, uma casa tradicionalíssima que tenta alcançar seu primeiro título.


domingo, 10 de março de 2019

Falando Sobre DEL #9: Eisbären Berlin e Thomas Sabo Ice Tigers nas quartas


A abertura da série entre Straubing Tigers e Eisbären Berlin foi um emocionante duelo na casa dos Tigers. O jogo foi equilibrado ao limite extremo do que é possível em um esporte como o hóquei, Straubing conseguiu o primeiro gol no segundo período em um contra ataque que Vladislav Filin aproveitou o rebote do goleiro muito bem. A equipe da capital alemã empatou poucos minutos depois, Martin Burchweiser lutou pelo puck em frente ao gol e conseguiu desviar o disco antes que a defesa tirasse. No começo do terceiro período Austin Ortega fez 1-2 para Eisbären com um disparo da linha azul, a resposta não demorou a acontecer, Steven Seigo disparou ao gol, o disco desviou na perna de Antoine Laganiére empatando o jogo em 2-2. Na prorrogação Ortega e Brendan Ranford trocaram passes e Austin Ortega marcou seu segundo gol no jogo, o placar de Tigers 2-3 Eisbären deu a vantagem para o time de Berlin no jogo 2 em casa.
O jogo número 2 da série seguiu o roteiro esperado, os Eisbären usaram seu mando de gelo para dominar o jogo. Marcel Noebels e Jamison McQueen marcaram sem respostas dos visitantes, os Tigers conseguiram um gol apenas no segundo período com Sandro Schönberger, mas André Rankel devolveu os 2 gols de vantagem para os donos da casa pouco depois. James Shepard fez 4-1 para o time de Berlin na metade do terceiro período, Stephan Daschner até respondeu pouco depois, mas era tarde de mais. Eisbären Berlin 4-2 Straubing Tigers, 2-0 na série e a vaga para as quartas de final estava assegurada ao maior campeão da história da DEL.
Foto: Sportfoto Zink / ThHa


Na outra série do playoff-runde, o Thomas Sabo Ice Tigers conseguiu se impor frente ao Fischtown Bremerhaven Pinguins. Os visitantes fizeram 0-3 com Christopher Brown, Patrick Reimer e Tim Bender nos dois primeiros períodos de jogo. Para os Pinguins perder em casa não era apenas um resultado ruim, como desastroso, o time de Bremerhaven assumiu o controle do jogo, mas o gol de Chad Nehring foi insuficiente. Fischtown 1-3 Thomas Sabo no jogo 1.
A segunda partida foi em Nuremberg, ela guardou surpresa e emoção no que se desenhava uma vitória fácil dos Ice Tigers. O time da casa começou mais preciso, de modo quase avassalador marcou os 3 primeiros gols do jogo, Leonhard Pföderl, Christopher Brown e Brandon Segal foram os autores dos gols. Não que o Bremerhaven estivesse jogando mal, ou sendo dominado, mas o time visitante não conseguia acertar o gol, isso até tomar o terceiro. Brock Hooton conseguiu finalmente bater Niklas Treutle, 16 segundos depois Justin Feser diminuiu para 1 gol a vantagem do Thomas Sabo. A pressão dos Pinguins fez com que os Ice Tigers errassem em uma troca de linha, no power play o time visitante ficou o tempo todo na zona ofensiva criando jogadas e finalizando, mas foi apenas depois que a penalidade acabou que William Weber marcou o gol de empate. Patrick Reimer teve duas ótimas chances, mas tanto no break away, quanto no chute do círculo esquerdo durante o power play, o atacante foi parado Tomas Pöpperle, o goleiro de Bremerhaven garantiu a sobrevivência e prorrogação no jogo 2.
A prorrogação em Nuremberg trouxe algumas lições valiosas para Ice Tigers e Pinguins. Para o Thomas Sabo a lição do jogo 2 é sobre disciplina e atenção, a falta dessas duas coisas num jogo pode custar muito caro. Já para o Fischtown, a lição que fica é que você precisa aproveitar bem as chances que são dadas. Os dois períodos de prorrogação, quase completos, foram marcados por 16 minutos dos Ice Tigers, o time da casa teve uma atuação incrível de Niklas Treutle, seu goleiro, salvando o time muitas vezes. Ao mesmo tempo, os Pinguins perderam grandes chances e sem querer reviveram o adversário e sua torcida nos minutos finais da segunda prorrogação, porém isso o ajudou acidentalmente. No último minuto do segundo período extra Maxime Fortunus conseguiu vencer Treutle e sacramentar a vitória de virada, Thomas Sabo Ice Tigers 3-4 Fischtown Bremerhaven Pinguins e o jogo 3 foi marcado.
Era vida ou morte na temporada 2018-19, Fischtown Pinguins e Thomas Sabo Ice Tigers foram ao gelo em Bremerhaven no domingo, 10/03/2019, para um jogo que valia tudo. A história da partida número 3 foi marcada por um começo muito bom do time da casa marcando o primeiro gol, Chad Nehring foi o autor do primeiro gol. Com isso, os Ice Tigers acabaram se impondo na partida e no segundo período Shawn Lalonde marcou o gol de empate, Thomas Gilbert fez o gol da virada já no final do período. Outra vez entrando no terceiro período em desvantagem, os Pinguins tiveram que se esforçar para conseguir ao menos um empate, quando Alexander Friesen marcou o gol faltando 29 segundos para o fim do jogo a torcida explodiu, era a chance de outra vitória na prorrogação.
Porém, o destino quis algo diferente, mas não apenas ele, o Thomas Sabo também. O time visitante voltou para a prorrogação sem estar abalado e se impôs novamente. O gol da vitória saiu do stick de Dane Fox com pouco mais de 3 minutos de prorrogação, a equipe de Nuremberg sofreu, mas conseguiu despachar o Bremerhaven e avançar para as quartas de final. Fischtown Bremerhaven Pinguins 2-3 Thomas Sabo Ice Tigers no jogo 3, 1-2 na série.

As quartas de final começam na terça, 12/03, a disputa por vagas nas semifinais começa com Augsburger Panther vs Düsseldorfer EG e Kölner Haie vs ERC Ingolstadt. Thomas Sabo irá enfrentar o Adler Mannheim, já o Eisbären Berlin encara o Red Bull München, essas séries começaram na quarta-feira 13/03. 


sexta-feira, 8 de março de 2019

Tre Kronor para o tricampeonato?



Com a Copa do Mundo de Hóquei se aproximando na Eslováquia em Maio, a federação sueca tem se preparado para tentar o que seria um feito histórico que é de conquistar a competição pela terceira vez consecutiva algo inédito e também pela décima segunda vez na história do pais.

O torneio terá um fato especial pois será última competição do técnico do Rickard Gronborg como técnico da seleção, especulado em vários times da NHL nas últimas temporadas já anunciou que sairá do comando em favor de seu assistente Johan Garpenlov.

Enquanto o turnover do time é sempre muito grande devido a imprevisibilidade de quais jogadores da NHL estarão disponiveis na época do torneio - dependendo do que acontencer Oliver Ekman-Larsson, John Klingberg e Denis Everberg sãos os únicos que podem fazer parte das 3 conquistas seguidas caso suecesso aconteça.

Enquanto Ekman-Larsson e Klingberg lutam para se manter vivo nos playoffs da NHL, Everberg no momento está jogando na Suíça o que deve abrir caminho para fazer história no hóquei sueco caso consiga atingir esse feito. 

O time já preparou amistosos contra Noruega e Rússia antes do torneio e a comissão técnica tem levado a preparação muito a sério e num grupo muito acessivel na primeira fase sem sues grandes rivais EUA, Canadá e Finlandia.

Resta saber quais jogadores da NHL vão querer fazer a viagem a Bratislava em maio.

Flávio Fernandes

quinta-feira, 7 de março de 2019

O retorno do Team GB - Bretões no Gelo


Quando o a Copa do Mundo de Hóquei de 2019 na Eslováquia começar uma seleção vai estar fazendo a elite do hóquei mundial após 24 anos - a Grã-Bretanha. No passado com várias ligações diretas com jogadores canadenses os britanicos era figuras certas na primeira diivisão mas após a evolução do hóquei em em diversas partes do mundo e a falta de apelo do esporte no pais viram sua seleção cair nos rankings e divisões da IIHF.

A EIHL liga nacional dos países que integram a União, passou a se desenvolver no entanto nos últimos anos e tem tido um surpreendete sucesso de público em todas as regiões em que seus times são localizados. O número de rinks cresceram e a liga consegue atrais jogadores canadenses e americanos que perdem espaço na América da Norte e também mantem a maior parte do seu talento local em casa.

A federação comoeçou a investir na base e resultados começaram a ser vistos como no aparecimento de Liam Kirk, um jovem talento de Sheffield que se tornou o primeiro jogador das Ilhas a ser draftado pela NHL sem nunca ter jogador no continenete norte-americano quando foi selecionado pelo Arizona Coyotes no sétimo round em 2018.


Existe um longo para o time da terra rainha e só de sobreviver no primeiro ano de volta a primeira divisão da Copa do Mundo já será um feito extraordinário. O destino os colocou no grupo dos favoritos e poderoros Canadá, EUA , Finlandia e ainda junto seleção da casa  mas o futuro do "Team GB" está em suas próprias mãos.

Flávio Fernandes